Literatura, estória, contos e causos de Ouro Preto

Além da produção literária rica e diversificada percebemos, é notório, os moradores de Ouro Preto gostam de contar estórias. Engraçadas, curiosas, trágicas e, sobretudo, fantasiosas. Elas fazem parte da tradição oral e figuram aqui para transmitir traços da cultura local. Sem compromissos com a exatidão ou a veracidade dos detalhes, estas estórias recriam a realidade com leveza e alegria, para brincar com o cotidiano.


Estórias de Carlota

Carlota, Ouro PretoCarlos Eduardo Lisboa, o Carlota, nasceu em Ouro Preto em 1945, é casado e tem 4 filhos. Formou-se na Escola de Farmácia, na UFOP, na década de 70. Depois de formado, passou 4 meses trabalhando em Conselheiro Pena, mas voltou para Ouro Preto, para especializar na área de botânica. Em 1982 se tornou professor de  Botânica aplicada por 36 anos. Em 2015 recebeu a Medalha Escola de Farmácia, em comemoração ao 176º Aniversário da Escola de Farmácia da Universidade Federal de Ouro Preto. Hoje, já aposentado, gosta de escrever discursos, textos sobre pessoas e belas estórias.

Capricho, amor e dedicação

Fiz, na década de noventa, uma viagem até Leopoldina de Rural com minha família. A distância daqui até lá é, aproximadamente, 260Km. Sem alterações, a velha Rural Ford 1975, com seu motor de quatro cilindros OHC,” cross flow”, desempenhou com agilidade esse percurso com menos de…

 

O nariz do farmacêutico

A noite foi mal dormida, devido ao compromisso da manhã, que foi uma grande preocupação durante parte de minha vida. Como professor de Farmacognosia, duas vezes por semana, o meu cotidiano começava com…

A indiferença

O relógio do Museu Inconfidência está parado.
A outra pessoa também não percebeu, esqueceu da hora.
O tempo na cidade monumento mundial não faz diferença…

OUROPRETOCULTURAL | ACESSO RÁPIDO

dezembro